sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Deixem lá a chuva cair cá dentro está um bolinho.

Pois é meus amigos, neste dias tão chuvosos nada como uma fatia de bolo e uma chávena de chá para ficarmos contentes, (pelo menos falo por mim).
Este é um desses bolinhos.
Ver a chuva a cair e deliciar-me com esta maravilha que muito aprecio já me deixa feliz.
Esta receita já aqui foi publicada mas nada como voltar a mostrar-vos porque é tão deliciosa e fofa que nunca é demais. 
Depois é super fácil de fazer. Experimentem e deixem lá a chuva cair!


Bolo mármore amanteigado
Ingredientes:
150 gr de margarina
200 gr de açúcar
3 ovos grandes (eu usei 4 pequenos)
150 gr de farinha
1 colher (café) de fermento em pó
sumo de uma laranja
1 colher (sopa) de cacau em pó



Preparação:
Unte muito bem com margarina uma forma pequena de bolo inglês e polvilhe-a com farinha. 
Numa tigela bata a margarina com o açúcar até ficar em creme, junte-lhe depois as gemas e o sumo de laranja.
Junte a farinha com o fermento e as claras em castelo, aos poucos de cada vezes intercalada mente mexendo com cuidado e sem bater.
Separe metade desta massa e misture-lhe o cacau. 
Deite as duas massas aos poucos e intercalada mente na forma.  
Leve a cozer em forno médio cerca de 40-50m.
Verifique se está cozido e retire.
Polvilhe com açúcar em pó a gosto.


Cai chuva. É noite. Uma pequena brisa
Cai chuva. É noite. Uma pequena brisa,
Substitui o calor.
P'ra ser feliz tanta coisa é precisa.
Este luzir é melhor.
O que é a vida? O espaço é alguém pra mim.
Sonhando sou eu só.
A luzir, em quem não tem fim
E, sem querer, tem dó.
Extensa, leve, inútil passageira,
Ao roçar por mim traz
Uma ilusão de sonho, em cuja esteira
A minha vida jaz.
Barco indelével pelo espaço da alma,
Luz da candeia além
Da eterna ausência da ansiada calma,
Final do inútil bem.
Que, se quer, e, se veio, se desconhece
Que, se for, seria
O tédio de o haver... E a chuva cresce
Na noite agora fria.

 Fernando Pessoa